Comandos em ação

Comandos em ação

José Temporão tinha no irmão mais velho um exemplo de tudo: era o craque na bola, o caxias no colégio, o gênio nas brincadeiras e o foda nas molecagens. João Primogênito era O Cara, e ai de quem falasse o contrário. De tudo, o que mais orgulhava José eram os combates travados entre os bonecos do irmão.

José herdou os homenzinhos do irmão universitário e cuidava de cada um com esmero em meio aos seus próprios combates. Não eram batalhas tão instigantes quando as do irmão, mas capazes de gerar narrativas que se alongavam por meses de confrontos e planos secretos.

Com a mesada dos pais e internet, resolveu compensar a diminuta imaginação com mais bonecos e passou a procurar quem burramente quisesse se desfazer de seus comandados. Encontrou novos, procurou coleções, estudou por anos em busca de cada boneco articulado capaz de dar emoção às batalhas.

Já na faculdade, colegas, professores e a namorada sabiam de sua busca e tentavam ajudá-lo. O baque veio quando a amada inadvertidamente comentou: nosso filho vai ter muito com que brincar. Ele começou a repensar. A relação.

O tráfico de armas, Saramago estava certo, não faz greve.

Gustavo Burla

2 Responses »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *