Sem segundos

Sem segundos

 

Era para ser segunda-feira. Digo, hoje. Era para ser segunda-feira. Ele disse: me escreve. E eu: sim, sim, na segunda. Confesso esquecer às vezes o quão voláteis podem ser os segundos das segundas. Tempo-éter.

 

Até rabisquei algumas linhas, sem tempo mesmo, a poucos segundos (ou pouquíssima segunda) da meia-noite. Nada muito eloqüente, apenas um rápido hoje é segunda e por isso te escrevo. Mas enfermidades do mundo (pós) moderno são intratáveis, até para hipocondríacos como eu. Computador em coma, palavras de segunda perdidas.

 

Era para ser segunda-feira, mas é terça. Terça não é dia de escrivinhações. Terça é dia de inventar desculpas.

 

 

Táscia Souza

 

 

Publicado originalmente em http://hipocondria.blog.terra.com.br, 27 de maio de 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *