Workaholic

Workaholic

Quando trocou de emprego, pensou que a vida seria mais tranquila. Trabalhar em casa, sem horários pré-determinados, de pijama no sofá, com tempo de ir à ginástica, ou de abrir a geladeira só para ver dez vezes o que tem dentro, ou de simplesmente dar uma cochilada ou ligar a TV. A realidade, porém, mostrou-se bem outra. De fato trabalhava em casa e sem horários pré-determinados, já que, em vez das seis horas que precisava cumprir por dia, fazia dez, doze, dezesseis. Cochilos apenas na madrugada, com o sonho entrecortado de lembranças das tarefas por fazer no dia seguinte. Mas nada de TV e muito menos de academia. Só emagreceu, na verdade, porque não sobrava mesmo tempo para abrir a geladeira, nem sequer uma única vez. O uniforme de trabalho, contudo, tornou-se de fato o pijama: não dava tempo de trocar.

Táscia Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *