Contemplando Van Gogh

Contemplando Van Gogh

Aquele era o dia mais frio do ano. O dia mais frio em mais de cem anos, os jornais diriam, mas isso ela só foi ficar sabendo muito tempo depois. Do lado de fora o céu bem claro enganava, de luz solar enviesada e azul a pino, desmentidos pelo chão branco – completamente branco –, escorregadio de neve e salpicado de sal. Diante da impossibilidade de continuar caminhando sob aqueles raios solares que não aqueciam e aquele azul celeste traiçoeiro, refugiou-se no museu. Lá fora era dia, mas dentro a noite estrelada se abriu aos seus olhos com estrelas rodopiantes como montes de sol. Seu coração foi inundado de calor.

Táscia Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *