Afivelando as malas

Afivelando as malas

Arrumaram malas, duas. Ou melhor, três: uma para cada um (a dela um pouco maior) e outra pequena para toalhas e roupa de cama. E ainda tinha a bolsa da câmera; a bolsa térmica com água e afins (se soro fisiológico para o nariz recém-operado puder entrar nessa categoria); a bolsa de praia na qual ela guardou os sapatos que não couberam junto com as roupas. Tudo pronto, era só fechar os zíperes e partir.

– Mas e os livros?

Olharam um para o outro e de seus respectivos rostos para a pilha cuidadosamente escolhida e separada para entreter as três semanas de férias.  Depois analisaram as malas – as três –, a bolsa da câmera, a de praia e até a térmica. Os volumes, porém, não cabiam em lugar algum.

O ano novo começou com o impasse: de qual viagem desistir?

Táscia Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *