Enquanto houver sol

Enquanto houver sol

— Às vezes eu penso em como seria, sabe? Morrer? Não é pensamento suicida, nada disso não. Pensamento hipotético mesmo. Daqueles: o que aconteceria se eu morresse?, igual: o que aconteceria se chovesse hoje? Mesma coisa. E ainda assim dá um arrepio. O calo dói com a ameaça de chuva, o braço arrepia com a perspectiva de morte. — Pausa. Suspiro. Desculpas. — Eu não devia falar assim perto da senhora, me perdoa. É que às vezes… a senhora pensa nisso muitas vezes?

A senhora, cabelos muito brancos e rugas de muito tempo, lhe lança um olhar de brilho infantil.

— Eu? Só penso em viver. E no que aconteceria se fizesse sol.

Táscia Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *