O sétimo dia

O sétimo dia

Uma viagem a trabalho e de repente eles, que tinham passado cada dia e cada noite dos últimos seis meses juntos, iam ficar seis dias (e, por consequências, seis noites) separados. Já sabiam da viagem, a princípio seriam cinco dias. Cinco dias achavam que poderiam aguentar, haviam se preparado durante todos aqueles meses para cinco dias longe um do outro. Mas aquela notícia de última hora informando sobre aquele sexto dia…

– Vai ser bom. Um refresco.

– Sim, vai.

– Aposto que vai dar um monte de festas quando estiver fora.

– Com certeza.

– Nem vai dar tempo de sentir minha falta.

– Não mesmo.

– Vão ser seis dias tão intensos que no sétimo vai dar uma de deus e só vai querer saber de descanso.

Um suspiro.

– Sabe quem vai descansar no sétimo?

Dois sorrisos.

– A saudade.

Táscia Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *