A maior história de amor de todos os tempos

A maior história de amor de todos os tempos

Do lado de fora, o frio. De dentro, a preguiça pré-feriado, a pilha de livros meio torta esperando o fim do trabalho que nunca termina para poder voltar — finalmente! — para a estante, o computador fechado-mas-que-deveria-estar-aberto, os bocejos diante do filme já visto na TV, a louça suja na pia esperando ser lavada, os pés gelados tateando as pernas do outro, buscando calor. E o discurso, às vezes inflamado:

— Não sei por que as pessoas suspiram tanto quando assistem essa merda. Não faz o menor sentindo considerar isso a maior história de amor de todos os tempos. Isso não é sobre amor. É sobre dois adolescentes que se matam porque estão com tesão.

— E a maior história de amor de todos os tempos seria qual?

Talvez fosse aquela: pés gelados, pernas quentes, louça suja à espera, bocejos na frente da televisão, computador pedindo para ser aberto, livros para serem guardados. A preguiça do lado de dentro e o frio do lado de fora.

Táscia Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *