Letras de médico

Letras de médico

No final do congresso de medicina, os amigos se reuniram num bar. Um conta vantagem daqui, outro dali, até que o José falou:

– Quem precisou de remédio outro dia foi Drummond.

– O que tinha?

– Pedra.

Os companheiros riram, bêbados, com cara de sempre.

– Machado foi ao meu consultório semana passada.

– Coitado. Medicou o quê?

– Ressaca. Nos olhos.

Mal deram bola, mal menor.

– Outro dia prescrevi pro Rubem Fonseca.

– O que ele tinha? – perguntaram genericamente alguns.

– Mandrake.

Outro acordo dos entendedores.

– E outro dia, pro Quintana.

– Sério? O quê?

– Passarinho.

Concordaram os sábios de Hipócrates.

Gustavo Burla

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *