Velhório

Velhório

A primeira a antecipar em lamento o abandono na velhice foi a avó. O neto disse que cuidaria dela quando precisasse, fosse em casa ou num asilo, que visitaria diariamente. Ela seguiu a vida tranquila. E longa.

Depois veio a tia, solteira, entendendo o que lhe aguardava. De novo ele se prontificou a acompanhá-la em carinho e carências.

Outra tia, com filhos morando longe, anos depois também pressentiu o que lhe poderia ocorrer e novamente foi ele quem se prontificou.

Assim seguiu a vida, por anos, prometendo às queridas, de todos os graus, cuidar delas na velhice.

Quis o destino que um infarto na flor dos 42 anos o levasse antes. Em torno do corpo, um coro de velhas chorava como viúvas do futuro promissor.

Gustavo Burla

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *