Clara, como assim?

Clara, como assim?

Clara tinha oito anos quando ganhou um bambolê de presente de sua mãe. A menina, que encantada ficou, nunca mais parou de rodar e rebolar. Cintura, pescoço, braços e pernas. Seu corpo inteiro rodava e rebolava. Clara cresceu, rodando e rebolando sem parar. Procurou uma escola de circo. Pronto! Encontrou um jeito adulto de manter seu bambolear. Passou a se apresentar em festas e eventos. Que vida bacana! “Essa era uma forma de me sustentar, rodar e rebolar!”, pensava ela com alegria.

Sempre com um quê de moderninha e queridinha. Clara era livre. Daquelas a bradar: corpo meu, minha lei! Cansada das imposições da cultura da beleza, deixou crescer pelos no sovaco. Uma rala penugem, que quase não chamava atenção. Estava feliz consigo mesma! Sentia-se libertada. Depilação nunca mais!

Certa vez, ao se apresentar, quando levantava os braços para rodar e rebolar, ouviu: “porca!”, gritou incomodado um misógino barbudo da plateia ao ver os pelos na axila de Clara. “Sua mãe não te ensinou a fazer sua higiene não?”, berrou uma preconceituosa. “Que falta de vergonha uma mulher com sovaco cabeludo!”, escandalizou- se uma conservadora. “Tá querendo ser homem?”, inquiriu um machista.

Assustada com tanta agressividade, cabisbaixa recolheu seu bambolê e parou de rodar e rebolar. Arrasada, não sabia como juntar seus cacos. Ficou despedaçada!. Deixou de sair de casa. Porém, quanto mais o tempo passava, mais aumentava a vontade de rodar e rebolar. Depois de muita insistência, Clara se permitiu voltar a se apresentar, rodar e rebolar. A plateia era formada, na maioria, por meninas.

Vocês deveriam saber que vocês são lindas do jeito que vocês são!, disse Clara antes de começar a rodar e rebolar. Naquele instante, ela entendeu que jamais deixaria de rodar e rebolar. A partir dali, cada apresentação sua seria para dizer aos outros que cada um pode ser o que quiser e ser feliz da maneira que desejar. Ela seguiria pela vida a rodar e rebolar, rodar e rebolar, rodar e rebolar…

Marcos Araújo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *