Black Mirror

Black Mirror

Quando acordo, nas primeiras horas do amanhecer, é a primeira coisa com a qual tenho contato. No momento de me deitar, na madrugada, é a última coisa que vejo antes de me desligar por um breve momento.

Durante o dia, temos contato direto. Frequentemente, sou incomodado por ele. Não há um momento da rotina no qual não temos contato. Sempre me lembrando de compromissos, sempre me tirando do ócio criativo.

A minha produtividade não é a mesma sem ele, mas também não consigo me concentrar em mais nada.

Eles já foram mais úteis, quando dependíamos menos deles. Quando só serviam para uma ligação ou SMS.

Agora não. Agora, nos consomem o dia inteiro, e estão muito menos resistentes.

Nos utilizam para espalhar ódio, fofoca, discórdia e para dar satisfação para Deus e o mundo.

De fato, eles já foram melhores, e nossa relação já foi mais saudável.

De fato, não fazem mais humanos como antigamente…

Thiago Luz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *