O que dizem fora, o que diz dentro

O que dizem fora, o que diz dentro

Todo mundo dizia que ela não tinha vida. Ela estranhava. E colocava a mão discretamente no tórax, um pouco mais para a esquerda, sentindo. Estava ali, batendo. Não era aquele ritmo, às vezes mais potente, às vezes mais fraco, que indicava que estava viva?

No entanto, se todos diziam, devia ser verdade, não é? Foi com esse assombro que abriu um talho no peito para conferir.

Táscia Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *