Legítima defesa

Legítima defesa

Ele era engenheiro. O que significava que tivera aulas de cálculo o suficiente para saber determinar a trajetória parabólica de um projétil lançado da beira de um penhasco sobre um terreno plano e horizontal, contanto que lhe informassem as dezenas de metros percorridos pelo projétil desde o instante de seu lançamento e a altura máxima acima do terreno atingida por ele.

O outro dado necessário para a operação — em qual distância acima do topo do despenhadeiro estava o projétil quando foi lançado — ele tinha: um metro e oito centímetros, exatamente a altura dos braços do filho mais novo ligeiramente elevados na direção dos ombros e colocados diante dos olhos, a segurar a escopeta que o pai fazia questão de manter. Dizia: pra gente se defender.

O filho se defendeu. Dele.

Táscia Souza

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *