Jornalismo de dados

Jornalismo de dados

Tá nervoso?

Não.

Tá suando.

Calor.

Tá frio aqui, ar tá ligado. (pausa) Tá nervoso sim.

O que cê tá fazendo aqui?

Vim pra entrevista.

Por quê?

Por quê…? Pelo emprego…

Você trabalha com dados?

Desde o colégio.

Colégio!?

Calma, parceiro… Cê quer uma água, um…?

Não! Nada. Tudo bem.

Meio tenso mesmo tudo isso, parece que tem um monstro atrás daquela porta…

Para!

Sente a emoção, fica melhor assim.

Para!!!

Cara, cê não confia na sua sorte?

Achei que ninguém mais estivesse aqui, acha que tenho sorte?

Ia entrar nessa sozinho!? Cara, ainda bem que tamos juntos!

Só tem vaga pra um.

Verdade… Falhar é crítico. Mas…

O quê!?

E se um dos dois tiver sucesso absoluto? Pode puxar o outro.

Você é…

Confiante.

Tem certeza que trabalha com dados?

Tenho uma luderia, um blog, e um canal no YouTube.

E daí?

Dados, saca. Da-dos. Tá no edital. Trouxe os meus aqui na mochila. Mas até chamarem a gente dá tempo pra um cardgame.

Gustavo Burla

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *