Réveillon

Réveillon

Maldito ano que não acabava!

Chegaria 1h da madrugada, mas não chegava a meia-noite.

Um ano que foi uma pausa forçada – para muitos.

Um ano que foi infinito – para tantos.

Um ano que foi o fim – para milhões.

Desgraça.

Isolamento.

Mortes.

Desemprego.

Política necrófila.

Pandemia.

Mortes.

Cansada de olhar o relógio, deitou.

E adormeceu – cheia de esperança.

Sonhou. Com paz. Vacina. Cura.

Com abraços. Reencontros. Novos encontros.

E, quando acordou, pegou logo o celular para conferir a data:

32 de dezembro de 2020.

Gilze Bara

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *