Animal de estimação

Animal de estimação

“Boa tarde, eu gostaria de um animal de estimação.”

“Veio ao lugar certo, senhor, e veja só este último gatinho. Tão esperto, e toda a família já se foi, sobrou só ele.”

“Queria um bicho diferente, mais…”

“Ali temos os cãezinhos… Oh… Tão bonitinhos…”

“Você ouviu a parte do diferente?”

“Temos peixes ali, diversos, maravilhosos.”

“Peixe não tem graça, não dá pra fazer carinho.”

“Ali temos um coala, um panda e um…”

“Não, queria algo mais…”

“Um bicho-pau? Um lagarto? Um ornitorrinco?”

“Isso existe?”

Um movimento na parede, perto do chão, chama a atenção dos dois. O comprador fica vidrado, o vendedor fica vermelho.

“Desculpe, senhor, a gente sempre cuida tanto do nosso espaço. Eu não sei como…”

“Quanto é?”

“Senhor, é uma barata.”

“Quanto custa? É exatamente o que…”

“Senhor, aquilo é uma barata!”

“É um animal, isso aqui é uma loja de animais e….”

O croque-croque do gatinho mastigando a barata suspende a discussão. Destroça sem pressa a barata que movia as antenas cada vez mais curtas dentro da boca do bichano. Engole, vira a carinha, abaixa as orelhas e encara os humanos.

“Quero o gato.”

Gustavo Burla

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *