Vós negais ou Filme de terror sem fim

Vós negais ou Filme de terror sem fim

Custou a perceber que havia alguma coisa (muito) estranha no ar
Custou a perceber que não era uma gripezinha
Custou a perceber que precisava mudar de hábitos
Custou a perceber que era melhor respirar por debaixo de um pedaço de pano do que não respirar mais
Custou a perceber que não era nada demais a mão ficar toda ressecada de tanto passar álcool
Custou a perceber que era melhor trabalhar de casa, porque podia fazer isso
Custou a perceber que a ameaça era real
Custou a perceber que a vida nunca mais seria a mesma
Custou a perceber que era uma doença também social
Custou a perceber que eram vidas, muito além de números
Custou a perceber que não valia a pena arriscar
Custou a perceber que não valia a pena passear
Custou a perceber que não valia a pena aglomerar
Custou a perceber que tudo só estava piorando
Custou a perceber que era melhor passar o Natal a sós, se quisesse atravessar outras natividades
Custou a perceber que o ano novo não era tão novo assim — e que poderia ser pior — e que seria pior
Custou a perceber que um monte de conhecidos estava morrendo — que amigos estavam morrendo — que familiares estavam morrendo
Custou a perceber que a população de seu país estava sendo dizimada
Custou a perceber que não dava pra ficar bem com tudo o que estava acontecendo
Custou a perceber que estava cada dia mais difícil sorrir
Custou a perceber que estava cada dia mais fácil chorar e se desesperar
Custou a perceber que havia perdido sua humanidade quando perdeu a empatia pelas pessoas
Custou a perceber que não queria virar estatística
Custou a perceber que não conseguia mais respirar direito
Custou a perceber que havia perdido sua vida pra Covid
Adoeceu pelo menos umas dez pessoas
Matou cinco delas
E nem percebeu.

Gilze Bara

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *