Category Archives: Gilze Bara

Antídoto

Antídoto

Acordou.

Levantou.

Foi ao banheiro.

Ainda sem proferir uma palavra sequer, lembrou de sua própria voz.

E foi inundada pelo medo: “E se minha voz não sair mais da minha boca? E se eu nunca mais puder falar?”.

O primeiro lamento que veio em sua mente foi: “Imagina não poder mais xingar em alto e bom tom??!?!”.

Mais do que depressa, lascou um sonoro “PUTA MERDA!”.

Gilze Bara

Ciúme em tempos pandêmicos

Ciúme em tempos pandêmicos

Ela andava terrível nos últimos tempos…

Cansada, enjoada, sentindo-se contrariada, rebelde.

Fazia um misto de revolta e luta por independência.

Por sua independência.

Às vezes simplesmente ignorava as ordens cerebrais.

Outras vezes as cumpria, mas com falhas, deixando sempre algo escapar.

Quando se concentrava bem, até que fazia direitinho tudo o que tinha que fazer.

Fato é que ela pagava o preço por tanto trabalho.

Eram mais de 12 horas de labor por dia.

Na secura do ar ou no úmido da água.

Digitando, digitando, digitando…

Lavando, lavando, lavando…

E quando ela parava, não parava de verdade – tinha sempre um algo mais.

E se era solicitada a fazer aquilo que lhe dava tanto prazer… nada.

Seca. Entressafra.

Recusava-se a colocar as escritas da mente no branco da tela do computador.

Foi quando um amigo deu aquela cutucada e matou a charada:

– Desenha! A mão deve estar com ciúme do teclado!

E ela desenhou as letras com lápis, numa folha de papel.

E a paz se fez novamente.

Gilze Bara

Home office?

Home office?

Acordo.
Checo as mensagens no celular.
Leio as notícias.
Tomo café.
Começo a responder as mensagens no celular.
Ligo o computador.
Gravo aulas. Faço conferências.
Tiro os alimentos da geladeira pra fazer almoço.
Checo os e-mails. Respondo.
Cato feijão.
Respondo mais e-mails. Mais mensagens.
Pago uma conta online.
Faço o almoço enquanto o celular carrega e a TV está ligada para saber mais notícias.
Almoço.
Mais e-mails.
Dou atenção à família.
O telefone toca. Trabalho.
Faço um cafuné nas filhas.
Reunião online.
Faço um pedido online de entrega de alguns itens.
E-mails.
Mensagens.
Outra reunião online.
Higienizo tudo o que pedi.
Checo os novos e-mails e as novas mensagens. Respondo.
Faço um lanche pra família.
Corrijo exercícios.
Mais e-mails.
Mais mensagens.
Tomo banho.
Notícias.
Vejo um pouco da série que não consigo acabar.
Ou então leio um trecho do livro que não consigo acabar.
Deito. Custo a dormir.
Rezo. Agradeço. Peço.
Enfim durmo.
Sonho.
Acordo.
E o looping recomeça.

E eu que um dia tive uma visão romântica de home office…

Gilze Bara