Author Archives: hupokhondria

II Congresso Internacional das Paixões Impossíveis

II Congresso Internacional das Paixões Impossíveis

Título do painel: A contribuição das ciências humanas, exatas e biológicas no desvendar da abstração matemático-genético-sociológica da paixão

Resumo: O presente estudo busca comprovar a exatidão fisiológica do fenômeno antropocêntrico do sentimento apaixonado, baseando-se na pesquisa empírica do autor, confrontado com a impossibilidade de sua realização. A análise se debruça sobre a bioquímica de Maria — aprofundando-se na quentura de sua pele, na maciez de seus cabelos e no castanho escuro de seus olhos —, bem como sobre a idealização de sua personalidade, até a ruptura em lágrimas sobre a carta de despedida que ela deixou.

Palavras-chave: morrer; de; amor.

Táscia Souza

Acróstico

Acróstico

Bronco
Ordinário
Laranja
Sinistro
Opróbrio
Nefasto
Abrutalhado
Repugnante
Odioso

Palavras retiradas do dicionário pelo moço arrependido, para nomear aquele que agora considerava inominável. Já não conseguia pronunciá-lo e começou a renegá-lo!! Bradava aos conhecidos que não era “vaca de presépio”. Passara a madrugada à procura de sinônimos. Olhos de insônia, arregalados, medrosos!!! Sentia-se cego também, pois havia percebido que nunca prestara, de fato, a atenção nos sinais que estavam ao seu redor.  Muitos tentaram lhe avisar, mas ele preferiu tapar os ouvidos. Muitos lhe falaram sobre a necessidade de estudar, pesquisar, analisar, comparar, mas ele só pensou que já sabia o bastante. Agora descobria que, se tivesse lido o suficiente anteriormente e conhecesse mais sinônimos, talvez não estivesse mergulhado em meio a

Contrição
Úlcera
Lamentação
Penitência
Arrependimento

Marcos Araújo

O gambá

O gambá

Descobriu que havia um gambá passeando de noite pelo quintal quando encontrou morta uma de suas galinhas. Passou a prender sua fauna dos fundos (as três cabeças restantes) no galinheiro até o sol nascer.

Durante o clímax do filme de suspense ouviu as penosas temerosas e correu para afugentar o gambá que rondava o galinheiro, fazendo “bu!” pela grade de tempos em tempos. Sangrou com pena (ou sem) as aves e as comeu em família.

Era pouco vento para muito som de árvore e foi para o terreiro encontrar o gambá se divertindo entre galhos e pêras e pitangas. Flagrado pela lanterna, fez cara de “ops” (se aumentar o som escuta I did it again) e correu pelo muro até sumir.

Quintal pelado, os potes de chocando que o fizeram chegar até o canto do quintal, onde o gambá bebia água depois de ter levantado o ralo. Respiraram no mesmo tempo e lançou a pergunta ao bicho:

— O que você vem buscar aqui?

— Sua paciência.

Gustavo Burla