Author Archives: hupokhondria

Refeição

Refeição

O que quer beber? Uma cerveja?

Me dá azia.

Cachaça?

Muito forte.

Uísque?

Também.

Campari?

Amargo.

Vinho?

Champagne.

Só tem tinto.

Cabernet sauvignon.

Só tem pinot noir.

Água.

Com gás ou sem.

Sem.

Ufa. Que bom que conseguimos. E pra comer?

Carne.

Qual?

Sua.

Como!?

Crua.

Gustavo Burla

Aion (ou A Eternidade)

Aion (ou A Eternidade)

Quando Chronos – o Tempo – e Ananké – a Inevitabilidade – se apaixonaram, não criaram apenas o mundo. Desconheço as formas como os homens vertem e subvertem seus mitos, mas no princípio também havia o Amor. E dessa espiral romântica que explodiu e originou o universo, ordenando-o em terra, céu e mar, nasceu Kairós, o filho do Tempo. O pedaço do Tempo em que algo indeterminado acontece. O pequeno fragmento do Tempo, o instante que é também o próprio Tempo.

A Oportunidade.

O primogênito tão aguardado, tão ansiado… Tão desejado que ninguém esperava que um segundo bebê estivesse prestes a romper o ventre do inevitável também. Mas foi assim mesmo que eu nasci, eternamente tentando segurar Kairós pelos pés.

Táscia Souza

Plantação

Plantação

– Estamos falando ao vivo aqui do parque central da cidade, onde pessoas de várias escolas estão semeando no novo canteiro público. Bom dia, meu jovem, o que você está plantando?

– Tomates.

– Que ótima ideia para alimentar as pessoas.

– E jogar nelas.

– Ah… claro… E você, criança, o que vai plantar?

– Esta é uma semente de cupuaçu.

– Mas isso é típico do Nordeste, será que vai germinar aqui?

– Tamos precisando, né?

– Professora! Que ótimo encontrá-la aqui. Magnífico o seu projeto de semear no parque da cidade.

– Obrigado. Não imaginei que a imprensa viria aqui.

– Achamos que era uma ação social e apartidária.

– Nem por isso alienada.

– A senhora sabe que se o Escola Sem Partido…

– Criado pelo Partido Sem Escola?

– É que… E a senhora, tá plantando alguma coisa?

– Jaca.

– Mas vai demorar a crescer.

– Sou professora.

Gustavo Burla