Category Archives: Gustavo Burla

São.

Voto de papel

Voto de papel

— Boa tarde. Chamei vocês dois pra essa audiência secreta on-line pra resolvermos um problema grave: o voto de papel.

— É sério isso mesmo?

— Vamos focar. Temos uma orientação da presidência pra apresentarmos uma proposta. As próximas eleições precisam acontecer com voto no papel.

— Vai ficar muito caro!

— Custo não é um problema, somos um país rico e (repito o que me disseram, por isso fiz essas aspas com os dedos, mas pode ter dado delay) já tiramos verba da educação, da cultura e dos auxílios sociais.

— Ainda tinha verba na cultura?

— Mantenha o foco! Precisamos de uma solução objetiva, organizar a cédula de modo prático e pra caber todos os candidatos.

— São muitos, só deixar o espaço pra cada eleitor escrever…

— Claro que não! Percebeu que estamos num caos de mão dupla? Os últimos cortes na educação acabaram com o letramento e os que já eram letrados não sabem mais pegar em caneta. Na eleição, já teremos mais de dois anos em que as pessoas só digitam!

— Tem que ser eleição de marcar X?

— Pros eleitores que apostam na reeleição dele, sim. E precisamos ter na cédula todos os nomes de todos os candidatos elegíveis pra todos os cargos!

— Vamos precisar de um formulário contínuo ou de… E quem é essa terceira pessoa na conversa que não abre a câmera? Relator da reunião?

— Ele ainda não sabe ligar a câmera. É um medievalista, vai ser muito esclarecedor nesse assunto.

Gustavo Burla

Nado represado

Nado represado

Cresceu ouvindo a mãe dizer “não vá nadar na represa, menino!” e nunca foi, até que saiu escondido numa manhã de domingo. Entrou com cuidado, percebeu a tranquilidade e até mergulhou. Água calma, paradinha, gostosa, limpa que servia toda a cidade. E antes de entrar nos canos! Que pureza. Boiou cuspindo água pra cima, como um geiser. Nadou e bebeu e nadou mais um pouco e foi correndo pra casa, onde já chegou seco, ninguém percebeu onde tinha ido. Depois precisou de muitos dias bebendo água corrente até conseguir fazer xixi novamente.

Gustavo Burla

Demandas

Demandas

para Zedu

Bastava chegar ao trabalho, trocar de roupa, colocar o crachá e começava: José, já enviou o memorando? José, cadê o documento? José, preciso de um texto pra ontem! José, pega isso pra mim no arquivo? José, pode me ajudar nessa mudança? José, você fez a relação que pedi? José, temos reunião às 16h. José, me passa aquela informação de ontem. José, ainda tem café na cozinha? José, semana que vem chega o programa novo. José, essa tabela precisa ser transformada em gráfico. José, ligou para a… qual o nome dela? José, conseguiu o…? José, sobre aquele… José…! José…

Um dia trocou de roupa e colocou o sobrenome no crachá. Sentou e trabalhou em paz.

Gustavo Burla