Category Archives: Gustavo Burla

São.

Homero

Homero

Quando a flecha chegou perto do meu olho perto mesmo quase tocando a córnea antes que a pálpebra pudesse abaixar pensei o que uma flecha faz nessa era de celular e whatsapp em pleno centro da córnea já era que forte esse arqueiro deve ser fã de quadrinhos ou doente mental porque a íris nem viu o que pegou o cristalino fiquei tentando lembrar de onde vinha tudo isso vida passando pelos olhos sem sentido nenhum e humor era fúria não vítreo era foda porque não tinha nada de senso quando respondi a pesquisa não podia ser eu porque os cabelos brancos tudo era caminho pro nervo óptico e depois a certeza de que havia acertado no ponto cego e o resto era silêncio mais que som.

Gustavo Burla

Festival de teatro

Festival de teatro

A cortina separava o público do material que ganharia vida em poucos instantes. A luz era à moda antiga: bastava o fogo da vela para deixar o encanto chegar aos olhos dos espectadores. A história cresceria à medida que a plateia se envolvesse. Dia de chuva era sempre uma delícia: bolas e bicicletas ficavam nas garagens e tinha teatro de sombras na sala.

Gustavo Burla

Costuras

Costuras

O pai queria que ele fosse piloto de corrida para passar pelos adversários como se estivessem estacionados.

A mãe apostava no talento para agregar amigos como um caminho para a política.

O tio garantia estar diante de um futuro intelectual toda vez que articulava teorias.

Optou pelos bordados da avó e tornou-se escritor.

Gustavo Burla