Category Archives: Táscia Souza

Com todos os ites que se possam imaginar.

Fisioterapia

Fisioterapia

Era uma clínica de reabilitação para quebras em geral. Quebras que tivessem a ver com o sentido de humanidade, quer dizer. Copos quebrados não precisavam de reabilitação, só de vassoura e pá e extremo cuidado para, na pressa, não arrancar sangue de um dedo. Fêmures, patelas, tíbias e fíbulas, porém, tinham lá sua sala específica, onde eram incentivados, mesmo combalidos, a prosseguir a caminhada, assim como quadris quebrados também tinham a sua, na qual tentavam voltar a ter jogo de cintura. Até ombros quebrados, que exigiam extrema paciência — uma paciência que multiplicava as muitas horas de cirugia por semanas e meses e até anos —, tinham um local propício para serem reensinados aos poucos a suportar os pesos do mundo.

Havia, no entanto, amplos salões lotados, mas muito menos bem-sucedidos nos propósitos do lugar. O vasto cômodo dos que quebravam a cabeça. O enorme auditório dos que quebravam a cara. O pátio imenso, descoberto, dos que viam quebradas suas promessas.

Táscia Souza

Perfil

Perfil

A tarefa era escrever sobre si, mas sob alguns critérios. Não valia dizer o próprio nome. Nem o tom da pele, a cor do cabelo ou dos olhos, a altura ou o peso, nem mencionar a mancha de sol, entre pinta e sarda, na bochecha direita. Também não era permitido informar a profissão, o cargo, o diploma, o salário. Só era possível contar o doce favorito (de leite), o sabor preferido de sorvete (torta de limão, da famosa sorveteria artesanal do bairro), o brinquedo de que tinha mais saudades (os patins), a primeira vez em que tirou um dez numa prova de ciências. Disso não sabia. Com certeza não fora na primeira série, quando o 9,9 no primeiro boletim fizera a mãe questionar para onde fora aquele décimo perdido.

Pensando bem, o resto não interessava mesmo. Nem nome, nem pele, cabelo, olhos, peso, altura, trabalho, doce, brinquedo ou sorvete. Aquilo ali, aquele 0,1 que faltou, é que definira tudo.

Táscia Souza

Nota de repúdio

Nota de repúdio

A Associação Nacional dos Escritores de Notas de Repúdio manifesta seu repúdio aos que repudiam as notas de repúdio sem repudiar os atos que elas repudiam, embora repudiemos também as próprias notas de repúdio que escrevemos e que não fazem mais do que manifestar nosso repúdio aos atos que repudiamos, sem, no entanto, contribuir para que o país seja menos repudiado e mais digno de qualquer antônimo, mesmo o mais leve deles, de repúdio. 

Em suma, nosso repúdio a nós mesmos. E a vocês.

Táscia Souza