Author Archives: hupokhondria

Poço dos desejos

Poço dos desejos

Já tinha desistido de ser rico. Filho de pedreiro e de dona de casa, seu passatempo entre as folgas no comércio e a escola era a feira de domingo, onde ajudava a mãe a vender as esculturas de epóxi. Assim tocavam a vida, ajeitando mês a mês o ordenado, sem fonte dos desejos.

Nunca tinha visto uma antes de olhar a figura no livro de Geografia. Ficou se perguntando como funcionava e descobriu que a história por trás de um poço era o que mais importava para as pessoas.

O pai construiu, impermeabilizou e azulejou a estrutura, a mãe fez a cara de onde saía a água e ele contou a história por trás da bica perto do gramado onde cresceu jogando bola. No final do dia recolhia as moedas com um snorkel. Não todas, para incentivar os desejos do dia seguinte.

Gustavo Burla

Ali na esquina

Ali na esquina

O convite era urgente e preciso: me encontre na Via Láctea, no terceiro planeta do Sistema Solar, aquele chamado Terra, daqui a 65 milhões de anos, quando a folhinha mostrar o período quaternário da era cenozoica.

Estarei esperando assim que o ponteiro pequeno do grande relógio marcar 2022 d.C. do calendário que se denominará gregoriano, e que o ponteiro grande estiver no algarismo 7 do sistema que se dirá arábico, e que o longo e fino ponteiro veloz girar do 18º numeral para o 19º do mesmo sistema.

Se ficar aflito no meio de 7,7 bilhões de pessoas, serei aquela de vestido azul e fita branca no cabelo, parada, à sua espera, no instante marcado, nem uma era a mais ou a menos.

Em breve. Bem na esquina.

Táscia Souza

A noite é uma criança

A noite é uma criança

Foram meses, que pareciam anos e eram décadas disfarçadas, sem dormir. Acordava, ninava, falava, cantava e o que mais fosse preciso até o sono calar a criança. E, depois, só ela dormia, a tensão ficava no ar.

Enfim, crianças crescem e se calam. Até que nasce a filha do vizinho de baixo.

Gustavo Burla