Link

Link

 

O link caiu na boca do povo. Um dia foi o vênas, no outro o massa, teve o brôu, o maneiro, o foda e o dahora. Um dia será o binário. Hoje é o link.

Fica ligado no link, faz um link, vou linkar disputaram a concorrência com outros anglicismos internéticos, como deletar ou uploadar, mas era mais fácil dizer que o sujeito era linkado no mundo do que uploadado nas novidades. A língua é assim, preguiçosa.

E assim continuou, como na sala de aula (todo o conteúdo deve ser linkado na hora da prova), na mesa de bar (linka mais uma gelada!), na política (preciso do seu link, querido eleitor) e na paquera (que link!). Desta ao passo seguinte: ontem à noite linkei três na festa; linkei a morena até em casa; ele me fez linkar seis vezes ontem à noite (com direito a réplica da amiga: que link…).

E na saída da escola os colegas conversam:

– Linkou tudo hoje?

– Linkei.

– Então me linka, vou tá linkado depois do almoço.

– Vou te linkar pelo Orkut.

– Não, manda o link no e-mail.

– O quê?

– Manda no Orkut mesmo. Beijo, me linka.

 

Gustavo Burla

5 Responses »

  1. Lembrou o texto do pulôver mesmo (a Victoria me mostrou falando que parecia com o seu). Ah, professor, aqui é a Iracema, do 2° período da noite ;D

    Gostei também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *